FATO RELEVANTE

A CA Investment (Brazil) S.A. (“CA Investment”) vem, na qualidade de legítima acionista controladora da Eldorado Brasil Celulose S.A. (“Eldorado” ou “Companhia”), em cumprimento ao disposto nos arts. 3º, §2º e 6 º, parágrafo único da Instrução CVM nº 358, comunicar que o Tribunal Arbitral constituído no âmbito do Caso CCI nº 23909/GSS (“Arbitragem”) encaminhou às partes, em 3 de fevereiro de 2021, sentença parcial que julgou procedente os pedidos formulados pela CA Investment na Arbitragem, reconhecendo o seu direito de adquirir a totalidade das ações de emissão da Eldorado detidas pela J&F Investimentos S.A., bem como determinou a manutenção do curso ordinário dos negócios da Companhia e do funcionamento do Órgão de Coordenação até a data de implementação da decisão, nos termos abaixo transcritos:
“Por todos os motivos anteriormente expostos, o Tribunal Arbitral:

1. Declara que a J&F Investimentos S.A. e a Eldorado Brasil Celulose S.A. obstaram maliciosamente o implemento da condição referente à Liberação das Garantias dos Vendedores, nos termos do Art. 129 do Código Civil, além de terem inadimplido o seu dever de cooperar previsto na Cláusula 15.3 do SPA e no Art. 422 do Código Civil e, por conseguinte:

a. Reputa verificada a condição prevista na Cláusula 5.2.3(iii) do SPA, quanto aos seus efeitos jurídicos;

b. Condena:
• A J&F Investimentos S.A. e a Eldorado Brasil Celulose S.A. a adotar todas as providências necessárias ao Fechamento da Segunda Compra; e

• A J&F Investimentos S.A. a transferir à CA Investments (Brazil) S.A. 50,59% das ações de emissão da Eldorado Brasil Celulose S.A. da titularidade da J&F Investimentos S.A., contra o pagamento do Preço da Segunda Compra pela CA Investments (Brazil) S.A., no mesmo momento em que se verifiquem todas as Condições Precedentes à Segunda Compra, incluindo a efetiva Liberação das Garantias dos Vendedores;

c. Condena a J&F Investimentos S.A., a Eldorado Brasil Celulose S.A. e a CA Investment (Brazil) S.A.:

• A cooperar de modo diligente e célere, para negociar com todos os credores os termos da Liberação das Garantias dos Vendedores, constantes do Anexo 15.1-A do SPA, que ainda existam no momento da prolação da presente Sentença Parcial; e

• A alcançar, antes de ou na Final Second Purchase Date, a efetiva Liberação das Garantias dos Vendedores, de forma a evitar um enriquecimento injusto da CA Investment (Brazil) S.A.;

d. Declara que o Reference Purchase Price se mantém inalterado (BRL 15 bilhões) e que o Preço da Segunda Compra deverá ser calculado conforme estabelecido na Cláusula 5.3 do SPA, com os Ajustes aplicáveis na Final Second Purchase Date, a ser fixada pelo Tribunal Arbitral;

e. Declara que os efeitos das medidas cautelares concedidas por meio da Decisão A-14 .permanecem em vigor até à Final Second Purchase Date.
(…)”

São Paulo, 3 de fevereiro de 2021

CA Investment (Brazil) S.A.